Portal Literário

A entrada para uma nova literatura!!!!

Textos

Tortura.
          
          Quando penso nesta mulher não sei qual vontade é mais forte: a de amá-la ou a de matá-la. Acho que vou fazer as duas coisas. Afinal de contas ela merece as duas coisas. Explico. Ela merece ser amada por ser linda, gostosa e despertar em mim a paixão arrebatadora que sempre procurei em uma mulher. E merece ser morta pelos mesmos motivos, pois não consigo imaginar que ela possa despertar as mesmas coisas em outro homem. Ah, e ela desperta. Afinal de contas ninguém fica cego para uma mulher assim. Principalmente aqueles que procuram uma mulher assim. Como eu procurei. E me arrependo. Ela é uma bruxa. Enfeitiça. Usa. Retira tudo que quer. E depois quando não tem mais nada a extrair vai parasitar outra vítima. Outro homem ou mulher, elas também, que lhe ofereça tudo o que ela quer. Mas eu sabia disso quando entrei nessa. Eu não quis acreditar. Pensei que sabendo quem sou ela fosse arrefecer sua sanha, mas não. A bruxa é má. Toda bruxa é. E esta utiliza tudo que tem. Envolve. Engana. Manipula. Matei por ela. Menti por ela. Ela também mentiu por mim. Talvez tenha matado por mim também. Improvável, mas possível. Mas sinto o fim se aproximando. Sinto que não serei mais seu hospedeiro. Sinto que não tenho mais nada que ela queira. Penso em deixa-la ir. Penso em mata-la. Penso em amá-la. Penso. Quando penso não ajo. Nunca esganei ninguém. Penso em esganá-la. Deveria. Deve ser diferente. Interromper a vida interrompendo o fluxo de ar. Mas ela vai resistir. Com certeza. Vai usar de toda sua força e fúria para evitar. E quando conseguir vai cuspir na minha cara as palavras que me abalam. Que só ela sabe serem capazes de me parar. É por isso que não vou mata-la. Não ainda. Vou tortura-la. Sim. Tortura. Vou expô-la. E chamarei todos a vê-la. E quando ela não aguentar mais, é quando tudo se tornará pior. Eu violarei seu âmago. E todos verão. Todos saberão. Todos sentirão. Mas ninguém irá se meter. Pois em tratos assim ninguém se mete. Ninguém defende alguém como ela de alguém como eu. Meter-se nos assuntos de um diabo nunca fizeram bem a ninguém. Principalmente quando ele atende pela alcunha de Satã.
Léo Rodrigues
Enviado por Léo Rodrigues em 23/01/2014
Alterado em 23/01/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Crônicas Adolescentes - Patinadoras Léo Rodrigues R$3,80 Crônicas Adolescentes - Patinadoras Léo Rodrigues R$40,59 Perseguição Implacável!!! - A volta de Anders... Léo Rodrigues R$3,09 Perseguição Implacável!!! - A volta de Anders... Léo Rodrigues USD7,34
Um homem chamado Anderson Ramos Léo Rodrigues R$3,82 Um homem chamado Anderson Ramos Léo Rodrigues USD15,99 Valarys Léo Rodrigues R$3,22 Valarys Léo Rodrigues USD17,60